atebrreve@gmail.com

Ok?

domingo, 7 de dezembro de 2014

Intermezzo

Fn

Essa noite tive um sonho, um pesadelo horrível. Assassinos sanguinários invadiam uma escola, desciam do ônibus e começavam a atirar pra tudo que é lado. Não usavam máscaras nem nada. Mataram mais de cem. Acordei com aquela sensação: ainda bem que foi só um pesadelo. Liguei a TV. No Paquistão, assassinos invadiram uma escola, desceram do ônibus e começaram a atirar, um banho de sangue, mataram mais de cem. A única diferença é que na realidade havia uma vingança. No mundo dos sonhos não havia motivo algum para tanta crueldade.
Voltei a dormir. Com a TV desligada.

O que eu acho? Me pede pra definir com palavras? Difícil, mas vou dizer o que eu penso, tá bom? É que nem mulher, você tem que ir lá e foder com ela, entendeu? Não fica achando que cada um tem a sua porque não é assim que a coisa funciona. Se você não faz o que eu tô te dizendo, quando menos espera vem um outro e crau na sua bela e você vai ficar por aí com essa cara de quem não comeu e não gostou, tá me entendendo? Ahn? Se você é mulher, o que é que faz? Vai lá e mete a mão na cara do filho da puta, só pra não perder o hábito. E lembre-se: mulher não estupra, mas estripa.  Homem ou mulher, você só vai saber de verdade o que ela é quando não mais tiver medo de perdê-la. Isso é minha opinião, agora fala você. O que é liberdade?

A gente para o carro só pra ver a paisagem. Lá no fundo tem os morros, um relevo esverdeado, parece desenho de criança, só falta o bondinho do pão-de-açúcar. Nos dois lados da estrada o mato não está muito crescido, não a ponto de invadir a pista. Por um momento, eu tiro os olhos do alto dos morros e lentamente começo a enquadrar o descampado, depois a beira da estrada, até perceber a florzinha vermelha, que nasceu num dos muitos buracos abertos no asfalto pelas rodas dos carros. Eu sei que naquela posição a flor não vai durar muito, nem imagino como sobreviveu até agora. A minha dúvida é se devo ou não arrancá-la. Tenho esse direito por imaginar que em breve ela será estraçalhada? Não sei se você entendeu, mas liberdade pra mim é isso.  Pensar antes de agir, mas uma hora você tem que agir, não pode ficar ali a vida inteira pensando se deve ou se não deve arrancar a flor vermelha. Seja livre o quanto antes, porque de repente um caminhão pode passar por cima não só da flor, mas também de você e de sua romântica namorada.

Disseram que você podia ir aonde bem entendesse. Aí te deram um endereço. A tentação era grande: você queria ver se encontrava o que estava procurando, não vem ao caso saber o que era, mas havia um risco. Você, que de bobo não tem nada, resolveu as coisas de outro modo: pagou um mendigo, um desempregado, um desses párias que vivem nas esquinas, deu sua melhor roupa a ele, levou o sujeito de carro até as proximidades do local onde deveria descobrir o que havia naquele endereço, depois ficou no carro, com a boina cobrindo a cabeça, uma boa parte da testa, olhando o sujeito atravessar a rua e tocar a campainha da casa 37, com o envelope vazio na mão esquerda, e aquilo foi o sinal para que de dentro da casa surgissem os outros quatro ou cinco, e agarrassem o cara, arrancassem das mãos dele o envelope, isso foi o que você viu. Estava na hora de dar marcha à ré, fazer uma manobra arriscada naquela ruazinha de subúrbio e desaparecer, antes que descobrissem que "ele" não era você e dentro do envelope não havia nada. Então é isso. Quer um resumo, uma frase única? Liberdade é poder fugir na hora certa. Acelera e esquece o resto.

Seguidores

Arquivo do blog

Ahn...?

Minha foto
Filial do Eu, Liquidação de Neurônios, Churrascaria Almaminhadealcatra Dúvidas, críticas, reclamações, elogios? atebrreve@gmail.com